ESPECIALISTAS | SAÚDE

Atividade física para quem tem pouco tempo
Agora não tem mais desculpa: veja como se exercitar em meio à rotina atribulada




Foto: Júlia Orige, por Pixabay

Muita gente se inscreve numa academia e só vai nos primeiros dias, mesmo que continue a pagar as mensalidades. Entre as desculpas alegadas sempre aparece a falta de tempo. O cansaço causado pelo dia a dia também costuma ser culpado. A boa notícia é que dar para se exercitar durante a correria cotidiana. Conheça algumas estratégias para mexer o corpo, até mesmo no expediente do trabalho:
 
1. De degrau em degrau...

...Rumo ao peso saudável. Sim, trocar o elevador pela escada do prédio, seja no condomínio ou na empresa, é uma boa opção de exercício. E ajuda a emagrecer. Subir de 5 a 10 lances de escada equivale 5 a 10 minutos de corrida, ou 2 km. É que grupos musculares como os localizados na coxa promovem um grande gasto energético.
 
2. Conte os passos

Essa é outra boa forma de entrar no combate ao sedentarismo. Hoje já existem aplicativos e aparelhos, como o pedômetro, que nos ajudam a contar os passos que damos. O número de passadas indica nosso nível de condicionamento:
Até 5 mil passos diários: sedentário
De 5 mil a 7 mil: insuficientemente ativo
De 7500 a 10 mil: ativo fisicamente
Acima de 12.500 passos: bom condicionamento cardiorrespiratório  Para ter uma ideia, de 10 a 12 mil passos equivalem a um trajeto de 4 km a 6 km
 
3. Desça um ponto antes

Para quem anda de ônibus, um jeito esperto de começar a ter mais condicionamento é descer um ponto antes e dar aquela caminhada até a casa.
 
4. Lembra do polichinelo?

Quase todo mundo fez exercício físico no qual se salta repetidamente, alternando a abertura de braços e pernas. Ele é simples, não exige muito espaço e supereficiente. Se você não tiver problemas articulares, pode fazer numa boa. Na primeira semana, faça de 3 séries de 15 e, nas seguintes, vá aumentando gradativamente: 3 de 20, 3 de 30, 3 de 40, 3 de 50 e 3 de 60.
 
5. Videogames e aplicativos

Hoje já existem até games e apps que permitem que a gente se exercite de leve. Mas isso só vale para quem não apresenta nenhum problema sério de saúde ou alguma lesão.
    

Por Fábio de Oliveira, da Agência Einstein

Fontes: Noel Oizerovici Foni, ortopedista do Hospital Israelita Albert Einstein; e Luiz Acácio Branco, educador físico do Hospital Israelita Albert Einstein.


Curta a página do Maringá Portal no Facebook
www.facebook.com/mgaportal

 
 




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM



ESPECIALISTAS  |  09/08/2020 - 17h





ESPECIALISTAS  |  04/08/2020 - 11h


ESPECIALISTAS  |  27/07/2020 - 11h